terça-feira, 29 de junho de 2010

29 de Junho: São Pedro e São Paulo


Neste dia, 29, a Igreja celebra a solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos. Pedro, primeiro Papa e pedra da Igreja; Paulo, servo de Jesus Cristo (Rm 1,1) e apóstolo por excelência.

Segundo o Papa Bento XVI os apóstolos Pedro e Paulo, são o “fundamento da Igreja”.

“Os dois Santos padroeiros de Roma, mesmo tendo recebido de Deus carismas e missões diferentes, são ambos fundamentos da Igreja una, santa, católica e apostólica, permanentemente aperta à dinâmica missionária e ecuménica”, afirmou Bento XVI.

Antes de rezar o Angelus com os fiéis presentes na Praça de São Pedro, em Roma, Bento XVI falou da festa litúrgica deste dia 29 de Junho, começando pela profissão de fé de Pedro diante de Jesus: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (Mt 16,16).

“Não se trata de uma declaração fruto de um raciocínio, mas de uma revelação do Pai ao pescador da Galileia”, disse o Papa. “Simão Pedro é tão próximo ao Senhor que ele mesmo se torna uma rocha de fé e de amor sobre a qual Jesus edificou a sua Igreja”, acrescentou.

Bento XVI recordou que o Apóstolo “difundiu o Evangelho com a Graça divina, semeando a Palavra de verdade e de salvação no meio dos povos pagãos”.

Que a exemplo de Pedro, sejamos rocha firme da Igreja, na qual Cristo edifique seu povo através da fé e do amor, para que sem medo sirvamos a Cristo e "como é santo este que nos chamou, tornemo-nos também santos em nossos comportamento, pois está escrito: Sede Santos porque eu sou santo" (1Pd 1, 16). Que por intercessão de São Paulo, assumamos nossa missão de pregar o Evangelho e com ele um dia termos a graça de dizer: "Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé" (2Tm 4,7).

Oremos. Ó Deus, que hoje nos concedeis a alegria de festejar São Pedro e São Paulo, concedei à vossa Igreja seguir em tudo os ensinamentos destes Apóstolos que nos deram as primícias da fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
São Pedro e São Paulo rogai por nós!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Secretário de Estado do Vaticano envia telegrama de solidariedade ao bispo de Palmares


Nesta quinta-feira, 24, o secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Tarcísio Bertone, enviou telegrama de solidariedade ao bispo da diocese de Palmares (PE), dom Genival Saraiva de França.

No texto, o cardeal “exprime sentidas condolências pelas vítimas e cordial participação na dor das famílias invocando para estas e feridos e despojados de seus bens, conforto do Senhor e solidariedade humana [...]”.

Dom Tarcísio destaca também que “o Santo Padre confia à misericórdia divina alma dos falecidos e envia como sinal de solidariedade com todos que sofrem e estímulo para quem lhes socorre, sua bênção apostólica”.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Visita de Dom Anuar Battisti ao Seminário de Teologia


Na tarde de hoje, 16, nós seminaristas da Arquidiocese de Maringá da etapa da Teologia, com residência em Londrina, recebemos a visita do nosso Arcebispo Dom Anuar Battisti e do Padre Reginaldo Teruel (reitor do Seminário de Filosofia em Maringá). Durante o período da manhã, Dom Anuar participou de uma reunião com os bispos e formadores das etapas de Filosofia e Teologia das Províncias Eclesiásticas de Maringá e Londrina.

O nosso encontro com o Arcebispo foi bem descontraído, um bate papo no qual o mesmo nos falou um pouco das discussões da reunião, da necessidade de se formar padres para exercerem seu ministério na comunidade e no meio acadêmico. Partilhou conosco as experiências das visitas pastorais que vem realizando, e ressaltou que está sendo de muita riqueza para o seu ministério episcopal.

Esse encontro como o nosso Pastor foi muito importante, porque realça os laços de amizade e confiabilidade e nos encoraja a enfrentar os desafios da caminhada para servir melhor o reino de Deus na Igreja que está em Maringá.

Dom Anuar, nós agradecemos o seu afeto e a sua amizade e por confiar na nossa vocação.

Que a Senhora da Glória o cubra com copiosas bênçãos.

Geovani José da Silva
Seminarista 2º ano de Teologia

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Papa recorda Ano Sacerdotal na Oração do Angelus


A conclusão do Ano Sacerdotal esteve no centro da oração do Angelus rezada pelo papa Bento XVI, neste domingo, 13, na Praça São Pedro, diante de milhares de fiéis e turistas. “Esta cidade viveu jornadas inesquecíveis, com a presença de mais de 15 mil sacerdotes de todas as partes do mundo. Por isso, hoje, desejo dar graças a Deus por todos os benefícios que este Ano [Sacerdotal] trouxe para a Igreja em todo o mundo. Ninguém jamais poderá medi-los, mas certamente estão visíveis e serão ainda mais visíveis os seus frutos", disse o papa.
“Os sacerdotes são os primeiros operários da civilização do amor”, disse o papa, lembrando inúmeros padres, especialmente, São João Maria Vianey, o Santo Cura D´Ars. "Não é preciso acrescentar mais palavras ao que foi dito sobre ele nos últimos meses. Mas sua intercessão deve nos acompanhar ainda mais daqui para frente. Que sua oração, que seu 'Ato de amor' que muitas vezes recitamos durante este Ano Sacerdotal, continue a alimentar o nosso colóquio com Deus."

13 de Junho: Santo Antônio de Pádua, Sacerdote e Doutor da Igreja


Fernando de Bulhões nasceu em 1195, em Lisboa de família guerreira de ascendentes dos cruzados. Entrou para a ordem dos cônegos regulares de Santo Agostinho em Lisboa.

Tendo contato com os frades Franciscanos por causa da caridade do convento que ele estava, os frades menores passavam para pedir esmola. Quem os atendia era Fernando e ao ouvir os testemunhos das missões que faziam o seu coração ia se enchendo de desejo de ir para a missão. Fernando faz o pedido para entrar na ordem dos frades franciscanos e ao conseguir foi para a missão na África, mas teve que voltar por causa da saúde.

Em 1221 participou do Capítulo Geral dos franciscanos onde pôde conhecer São Francisco de Assis. Recebeu na cidade de Forli a ordenação presbiteral onde os seus superiores descobriram um grande pregador. Foi o primeiro a ensinar teologia entre os franciscanos, tendo sido nomeado pelo próprio São Francisco.

Faleceu em 13 de Junho de 1231 no subúrbio de Pádua aos 36 anos de idade. Foi canonizado no dia de Pentecostes do ano seguinte pelo Papa Gregório IX. Recebeu o título de Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII em 1946 com a especificação de “Doutor Evangélico”.

Na iconografia é apresentado com um livro que faz referência ao seu conhecimento da Sagrada Escritura, com o Menino Jesus nos braços que quer lembrar a visita divina em um de seus freqüentes êxtases. Para nós, a atualidade do santo consiste na imitação de seu ideal de fidelidade ao evangelho e de seu zelo pelo diálogo com os que erram praticados por ele em sua curta vida.

Santo Antônio de Pádua rogai por nós!

Fonte: Os Santos do Calendário Romano. Enzo Lodi. Paulus. 2001.

Joseir Sversutti
Seminarista 3º ano de Teologia

sábado, 12 de junho de 2010

11º Domingo do Tempo Comum: Deus perdoa porque ama e nós amamos porque fomos perdoados!



A liturgia deste domingo destaca a missão de Cristo, que veio revelar a face do Pai e revelar seu amor, com isso, o Jesus de Lucas tem uma função primordial, no acolhimento da pecadora e seu posicionamento perante o fariseu, que em momento algum mostrou sensibilidade de reconhecer em Jesus o projeto de Salvação, diferente da postura da mulher que encontra em Cristo uma oportunidade de redenção de seus pecados.

Na primeira leitura, encontramos a narrativa do segundo Livro de Samuel, no qual relata a postura do profeta Natã junto ao rei Davi, o povo de Israel esta em um contexto de transição, em que se encontrava no sistema tribal, ou seja, os Juízes; Davi foi o segundo rei de Israel, que além de conquistar Jerusalém, colaborou com a unificação de Israel.

Na história do povo de Israel, Davi foi o chefe de Estado que promoveu a justiça e a paz, mas teve também seus pecados, no texto de hoje, foi caracterizado adultério com Betsabéia esposa de Urias e posteriormente o assassinato de seu servo Urias para lhe roubar a esposa.

Dessa maneira, o profeta Natã o ajuda a reconhecer seu pecado e faz com que o rei reconciliasse com Deus; logo, a visão de Deus é o senhor da história que está ao lado dos menos favorecidos, sobretudo após o rei Davi reconhecer seu pecado, Deus o perdoa, pois por amor deus quer que o povo o ame e a forma de retribuir tal ação é expressar sua misericórdia perdoando e abençoando suas criaturas.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Conheça a História do Corpus Christi

Esta semana nos convida a viver com mais intensidade o Mistério da Eucaristia, que é fonte e cume de nossa vida, de nossa espiritualidade. Esta pedagogia da liturgia da Igreja nos ensina a abraçar o mistério de nossa fé, depois de vivermos a tempos atrás o Mistério de Jesus na sua paixão, morte e ressurreição, celebramos a semana retrasada a Festa de Pentecostes e Domingo passado a Santíssima Trindade e nesta quinta-feira, 03 de junho, o Mistério de Cristo presente na Eucaristia.

A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Santa Igreja sentiu necessidade de realçar a presença real do “Cristo todo” no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes. Aconteceu, porém, que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, aconteceu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Alguns dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.