quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Obrigado Dom Jaime

Na fé e na esperança acreditamos em Cristo Jesus que nos disse: "Quem crê em mim, ainda que morra, viverá" (Jo 11,25).
 
A morte deixa marcas de tristeza, mas a certeza da ressurreição e da vida nos garante a alegria da vitória.
 
A Deus, nossa gratidão pela vida, testemunho e ministério de Dom Jaime Luiz Coelho, pois sem se cansar levou a todo lugar a mensagem do Evangelho.
 
Dom Jaime, obrigado por tudo. Obrigado por nos ensinar a amar o Evangelho de Cristo. Obrigado por nos ensinar a confiar em Maria Santíssima. Obrigado por doar a sua vida de modo extraordinário no ministério presbiteral e, principalmente, no ministério episcopal. Enfim Dom Jaime, obrigado por fazer com que Cristo seja tudo em todos (In Omnibus Christus - "Cristo tudo em todos" - Cl 3,11 - Lema do episcopado de Dom Jaime Luiz Coelho).
 
Que Maria, a Senhora da Glória, que sempre esteve ao seu lado para conduzi-lo em seu ministério, possa agora no céu recomendar-te ao Coração de Jesus.
 
 

Na íntegra: Homilia de Dom Murilo

Dom Murilo S.R. Krieger, scj – Arcebispo de São Salvador da Bahia – Primaz do Brasil
Exéquias de Dom Jaime Luiz Coelho, Arcebispo Emérito de Maringá – 06.08.13
Leituras: Festa da Transfiguração do Senhor
 
 
 
1. É muito fácil falar nas exéquias de Dom Jaime Luiz Coelho. É muito difícil falar nas exéquias de Dom Jaime Luiz Coelho.
 
2. É muito fácil falar: quem o conheceu - e quem, morando em Maringá ou neste norte novo do Paraná não o conheceu? -, tem ideia clara de seu valor e do que ele significou para a Arquidiocese de Maringá, para o Município de Maringá e para os Municípios desta região. Aqui, a História da Igreja e a História desses municípios se cruzam em Dom Jaime. Quem o conheceu sabe muito bem com que dedicação, entusiasmo e determinação ele enfrentava os desafios e lutava para ver concretizadas as suas ideias.
 
Quem o conheceu sabe com que ardor ele procurou fazer de Jesus Cristo o centro de sua vida e da vida de todos. Esse ardor está muito bem sintetizado em seu lema: In omnibus Christus (Cl 3,11) - isto é, Cristo em todos, da carta do apóstolo Paulo aos Colossenses. Dom Jaime escolheu este lema em 1957, ao ser nomeado Bispo pelo Papa Pio XII.
 
O desejo de fazer com que Cristo fosse tudo em todos pode ser apresentado, hoje, como uma síntese de sua vida e de suas lutas. Seu espírito determinado, sua capacidade de direcionar todas as suas forças nos objetivos que tinha diante de si tem uma prova concreta nesta Basílica Catedral - uma Casa de Deus e, ao mesmo tempo, um monumento artístico criativo e arrojado, nacional e internacionalmente conhecido como o símbolo de Maringá.
 

Cardeal Scherer se manifesta sobre morte de Dom Jaime

São Paulo, 05.08.2013
 
Para Dom Anuar Battisti - Arcebispo de Maringá
 
Estimado Dom Anuar
 
Nesta manhã, fui surpreendido pela notícia do falecimento de Dom Jaime Luiz Coelho, primeiro Bispo e Arcebispo emérito dessa estimada Arquidiocese de Maringá.
 
Dom Jaime marcou a vida e a história da Igreja em Maringá e no Paraná, quer pelo seu longo serviço episcopal, quer pela sua frutuosa ação missionária e pastoral. Conheci-o como bispo de Maringá quando eu ainda era menino e estava iniciando meus estudos no Seminário em Curitiba, nos anos 60.
 
Neste momento de luto para a Arquidiocese de Maringá, uno-me ao senhor e aos demais bispos do Paraná na oração em sufrágio por Dom Jaime e em agradecimento pelo muito bem que fez em sua longa vida. Deus o recompense com o prêmio dos bons e fiéis servidores do Evangelho. Ao mesmo tempo, quero expressar minha solidariedade aos familiares e parentes, ao clero, religiosos/as e leigos/as de Maringá, que o tiveram como pai e pastor por tanto tempo. Sejam confortados com a certeza da fé e a esperança da vida eterna!
 
Aproveito a ocasião para saudá-lo e para lhe desejar todo o bem!
 
Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo

Morre Dom Jaime Luiz Coelho

A Arquidiocese de Maringá comunica o falecimento do primeiro Arcebispo de Maringá, Dom Jaime Luiz Coelho. Dom Jaime morreu por volta 1h da madrugada desta segunda-feira (05), na Santa Casa de Maringá, vítima de insuficiência renal crônica. Ele havia sido internado na UTI da Santa Casa na noite de sábado (04), por causa do agravamento do quadro de insuficiência renal.
 
O velório terá início às 12h desta segunda-feira na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória.
 
O sepultamento deverá ser realizado terça-feira (06) logo após a missa de corpo presente das 18h30.
 
O corpo de Dom Jaime será sepultado na cripta da Catedral Basílica.
 
A Arquidiocese pede que as pessoas que queiram prestar homenagens a Dom Jaime não comprem coroas de flores e sim façam doações em dinheiro para as obras sociais da Igreja. As doações podem ser feitas na Catedral.
 

domingo, 4 de agosto de 2013

Cardeal Raymundo Damasceno, na reflexão sobre o mês vocacional: “Jesus nunca deixa ninguém sozinho!”

O presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis, publicou um artigo em que apresenta uma reflexão sobre o mês vocacional, celebrado pela Igreja no Brasil em agosto. No texto, ele parte da vocação fundamental de cada cristão à santidade, “que recebemos no dia em que fomos batizados”.
 
A seguir, a íntegra do texto:
 
 
Agosto: mês vocacional
 
No Brasil o mês de agosto é sempre uma oportunidade para que possamos refletir sobre o chamado que Deus nos faz para vivermos de um modo mais concreto a nossa vocação à santidade, que recebemos no dia em que fomos batizados.
 
Na primeira semana, lembramos a vocação sacerdotal, refletimos sobre a sua importância para a Igreja e rezamos ao Senhor da messe para que envie operários, de modo que não faltem padres para cuidar das mais diversas comunidades espalhadas pelo Brasil.
 
Em seguida, recordamos a vocação religiosa. Nossa mente se volta para os homens e mulheres que se consagraram a Deus através dos conselhos evangélicos da pobreza, castidade e obediência para viverem em comunidade segundo o carisma de seus fundadores e servirem à Igreja e ao povo de Deus nos mais diferentes serviços, sejam de natureza religiosa ou social. Lembramo-nos também dos missionários e missionárias que deixaram suas terras e foram para os locais mais distantes no serviço do Reino de Deus, anunciando Jesus Cristo aos que ainda não O conhecem.
 
Há também outra vocação que não pode ser esquecida: a dos fiéis leigos e leigas que, através do exercício de ministérios não ordenados, se fazem presentes nas comunidades eclesiais e no mundo e se dedicam à evangelização na família, no trabalho profissional e no seu ambiente social, para santificar o mundo e fazer com que ele deixe de ser a cidade dos homens para tornar-se a cidade de Deus. Dentre os diferentes ministérios leigos, o último domingo de agosto destaca a catequese, comemorando o dia dos catequistas.
 
Grandes santos são lembrados neste mês, como: São João Maria Vianney, o Cura D’Ars, padroeiro dos párocos; São Lourenço, padroeiro dos diáconos; Santo Afonso Maria de Ligório, fundador da Congregação dos Missionários Redentoristas; São Tarcísio, padroeiro dos coroinhas; Santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina e, de modo especial, nossa Santa Mãe do Céu, Maria Santíssima, que é recordada na solenidade da sua Assunção, nos apontando o feliz destino de todos os que dizem “Sim” a Deus.
 
O tema vocacional é, de modo especial, voltado para os jovens. É um apelo para que todos procurem ouvir a voz de Deus e dizer sim ao seu chamado para servirem concretamente ao seu Reino.
 
Rezemos para que a Mãe Aparecida abençoe a Igreja, e, especialmente, os jovens, a fim de que sejam fiéis no seguimento de Jesus Cristo e obedientes ao mandato de seu Fundador e Mestre: “Ide e fazei discípulos meus todos os povos”. O Papa Francisco, em sua homilia da Santa Missa para a 28ª JMJ, afirma: “Não tenham medo! Quando vamos anunciar Cristo, Ele mesmo vai a nossa frente e nos guia. Ao enviar seus discípulos em missão, Jesus prometeu: “Eu estou com vocês todos os dias” (Mt 28,20). E isto é verdade também para nós! Jesus nunca deixa ninguém sozinho! Sempre nos acompanha.”
 
Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida (SP)
Presidente da CNBB