Arcebispos

Dom Jaime Luiz Coelho
(1º Bispo e Arcebispo Metropolitano de Maringá)


Filho de João Amélio Coelho e Guilhermina Cunha Coelho, nasceu em 26 de julho de 1916 na cidade paulista de Franca. Fez o seminário menor em Campinas, cursando depois Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, na cidade de São Paulo. Recebeu a ordenação presbiteral na Catedral de Ribeirão Preto, em 7 de dezembro de 1941.

Foi vigário cooperador da Catedral, secretário geral do bispado e chanceler da Cúria diocesana. Em 1944, foi designado cura da Catedral. No dia 3 de dezembro de 1956, aos 40 anos, foi designado bispo da recém-criada diocese de Maringá-PR. A ordenação episcopal ocorreu em 20 de janeiro de 1957 na Catedral de Ribeirão Preto.

Em 16 de outubro de 1979, com a criação da Província Eclesiástica e elevação de Maringá a arquidiocese, foi promovido a arcebispo metropolitano. Sua posse como arcebispo deu-se em 20 de janeiro de 1980.

Em 11 de julho de 1997, depois de 40 anos em frente a Arquidiocese de Maringá, Dom Jaime entregou o comando da Arquidiocesew a Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger.

Realizações:
Dom Jaime Luiz Coelho é uma das principais personalidades da história de Maringá. Foi idealizador e responsável pela construção do monumento símbolo da cidade, a Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória. Fundou e dirigiu a Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, onde foi ministrado o primeiro curso superior de Maringá e que foi o embrião da atual Universidade Estadual de Maringá.

Além disso, Dom Jaime teve participação fundamental em uma série de acontecimentos importantes para o engrandecimento da cidade, tais como: a construção da Livraria Católica, depois entregue às religiosas da Pia Sociedade Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas); a transformação do Albergue Noturno, sob direção das Filhas da Caridade, em Albergue Santa Luíza de Marillac; a criação do jornal diário Folha do Norte do Paraná; a implantação da TV católica 3º Milênio, fundada pelo padre Gerhard Schneider; e a obra de desfavelamento Núcleo Social Papa João XXIII.


Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, scj
(2º Arcebispo Metropolitano de Maringá)

Catarinense de Brusque, onde nasceu a 19 de setembro de 1943, Dom Murilo teve a vocação sacerdotal despertada ainda quando criança. Sexto filho de nove irmãos, de tradicional família brusquense (seus pais: Oscar e Olga), realizou os estudos de primeiro e segundo graus no Seminário de Corupá, SC, na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Em 1964 ingressou nessa Congregação e iniciou o curso de filosofia em sua cidade natal.

Os estudos de teologia foram na cidade de Taubaté, SP (1966-1969). Dom Afonso Niehues foi quem presidiu sua ordenação presbiteral em sete de dezembro de 1969, em Brusque. O início de seu ministério pastoral foi em Taubaté, onde trabalhou na Paróquia Sagrado Coração de Jesus (1970) e fundou o Movimento Shalom, para jovens. De 1974 a 1979 foi Reitor do Instituto Teológico S.C.J., de Taubaté.

Nomeado Superior Provincial de sua Congregação, exerceu essa função de 1981 até 1985, quando foi nomeado Bispo Auxiliar de Florianópolis, pelo Papa João Paulo II, no dia 16 de fevereiro. Sua ordenação episcopal aconteceu em Brusque, no dia 28 de abril de 1985, presidida por Dom Afonso Niehues, o mesmo que o ordenara padre 15 anos antes.

Escolheu como lema episcopal: "Deus caritas est" (1Jo 4,16). Trabalhou com Dom Afonso até março de 1991 e com Dom Eusébio Oscar Scheid de março a junho de 1991. Nesse ano, no dia 22 de julho, assumiu a Diocese de Ponta Grossa, PR . Seis anos depois, no dia 11 de julho de 1997, assumiu a Arquidiocese de Maringá, PR.

No dia 20 de fevereiro de 2002 foi nomeado Arcebispo de Florianópolis, assumindo essa Arquidiocese dia 27 de abril de 2002.

Dia 12 de janeiro o papa Bento XVI nomeou dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, aos 67 anos, novo arcebispo de Salvador (BA) e primaz do Brasil [título ao arcebispo de Salvador – por ser esta a primeira diocese criada no Brasil], após ficar 9 anos a frente da Arquidiocese de Florianópolis (SC). Ele sucede o cardeal dom Geraldo Majella Agnelo, 77, que teve sua renúncia aceita pelo pontífice por limite de idade (75 anos), conforme o Código de Direito Canônico, cânon 401. É autor de vários livros, escreve em revistas e jornais e tem programas na televisão, sempre com o intuito de evangelizar.

Obras publicadas:
Dentre as obras publicadas, destacam-se: Shalom: A Paz ao Alcance da Juventude (Loyola); O Primeiro, o Último, o Único Natal (Loyola); Com Maria, a Mãe de Jesus (Paulinas); Um mês com Maria(Paulinas); Anunciai a Boa Nova (Canção Nova).


Dom João Braz de Aviz
(3º Arcebispo Metropolitano de Maringá)


Natural de Mafra-SC, nascido no dia 24 de abril de 1947, é um dos 8 filhos do casal João Avelino de Aviz e Juliana Hacke de Aviz, ambos falecidos. Ainda na infância, a família veio para Borrazópolis, pequeno município do Norte paranaense. Aí se criou juntamente com os irmãos.

Prestes a completar 11 anos, foi encaminhado, em 21 de abril de 1958, ao Seminário Menor São Pio X, dos padres do PIME - Pontifício Instituto das Missões Exteriores, em Assis-SP, onde estudavam na época os seminaristas menores da diocese de Londrina.

Com a criação, em março de 1964, da Diocese de Apucarana, para ela se transferiu, de vez que a Paróquia Imaculada Conceição de Borrazópolis passou à jurisdição da nova diocese.

Seus estudos de filosofia foram feitos no Seminário Maior Provincial Rainha dos Apóstolos, em Curitiba. Transferiu-se, a seguir, para Roma, onde obteve, na Pontifícia Universidade Gregoriana, a licenciatura em Teologia. Ordenou-se presbítero na Catedral de Apucarana, no dia 26 de novembro de 1972.

Entre os encargos pastorais exercidos contam-se: pároco de várias paróquias; diretor espiritual e reitor do Seminário Maior-Instituto de Filosofia de Apucarana; diretor espiritual no Seminário do Ipiranga-SP, e reitor e professor de Teologia Dogmática no Instituto Paulo VI, de Londrina-PR. De 1989 a 1992 esteve novamente em Roma, estudando na Pontifícia Universidade Lateranense para o doutorado que obteve em Teologia Dogmática.

Eleito bispo auxiliar de Vitória, recebeu, dia 31 de maio de 1994, em Apucarana, a ordenação episcopal. Todos sejam um (Jo 17, 21) é o lema de sua missão de bispo. Empossado a 9 de junho do mesmo ano, permaneceu na capital do Espírito Santo por 4 anos.

Recebeu a nomeação em 12 de agosto de 1998, de bispo diocesano de Ponta Grossa, sede que assumiu no dia 15 de outubro daquele ano.

Aos 17 de julho de 2002, surpreendeu-o a comunicação de sua transferência para Maringá, onde tomou posse como 3º Arcebispo de Maringá, no dia 4 de outubro de 2002 permanecendo no governo da mesma durante 14 meses.

No dia 28 de janeiro de 2004 foi nomeado pelo Santo Padre o Papa João Paulo II para Arcebispo Metropolitano de Brasília onde tomou posse dia 27 de março do mesmo ano.

Dia 4 de janeiro de 2011 dom João Braz de Aviz foi nomeado pelo papa Bento XVI prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Vida religiosa no Vaticano, depois de sete anos como arcebispo da capital federal. A partir de 16 de março, ele assume sua nova função.

No dia 6 de janeiro de 2012 o Papa Bento XVI anunciou que Dom João seria incluído no Colégio Cardinalício da Santa Mãe Igreja. Então, no dia 18 de fevereiro de 2012, Dom João Braz de Aviz recebeu o barrete cardinalício na Basílica de São Pedro, pelas mãos do Papa Bento XVI. Cardeal Braz de Aviz também recebeu o título cardinalício da Diaconia de Santa Helena de fora da Porta Prenestina, em Roma.

Dom Anuar Battisti
(4º Arcebispo Metropolitano de Maringá)


Dom Anuar Battisti nasceu em Alto Honorato, município de Lajeado - RS, aos 19 de fevereiro de 1953. É o terceiro de oito filhos de Aniceto Battisti e Edorilda Knipof dos Santos, casal de profunda vida cristã. Tem uma irmã, Lourdes, religiosa da Congregação de São Carlos, e um irmão, José, sacerdote da Sociedade do Apostolado Católico (padres palotinos).

Ainda criança, em 1963, transferiu-se com a família para Tupãssi, no Paraná. Em 1963, ingressou no Seminário Menor de Toledo, onde fez o ensino fundamental. De 1967 a 1970, cursou o antigo ginásio, no Seminário de Cascavel. Cursou o então segundo grau no Seminário São José, em Curitiba, entre os anos de 1971 e 1973.

Em Curitiba, na PUCPR, cursou Filosofa nos anos de 1974 a 1976, residindo no Seminário Rainha dos Apóstolos, no bairro Seminário. Em 1977 e 1978 cursou Teologia no Studium Theologicum, então afiliado à PUCPR e, hoje, à Universidade Lateranense, de Roma. De outubro de 1978 a março de 1979, participou da escola sacerdotal do Movimento Focolare, em Frascati, na Itália.

Completou sua formação teológica nos anos de 1979 e 1980, na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. Foi ordenado sacerdote, do clero diocesano de Toledo, no dia 8 de dezembro de 1980, pela imposição das mãos de dom Geraldo Majella Agnelo, atual Cardeal Primaz do Brasil, Arcebispo de Salvador.

Como sacerdote, ocupou funções sempre relacionadas à formação dos jovens seminaristas. De 1981 a 1985, foi reitor do Seminário Maria Mãe da Igreja, da diocese de Toledo. Ao mesmo tempo, respondia pela Paróquia de Vila Nova e lecionava na FACITOL, hoje Centro Universitário da Unioeste, demonstrando desde cedo seu interesse pela educação universitária. De 1985 a 1988, foi reitor da casa de formação dos seminaristas maiores do Oeste do Paraná, em Curitiba.

Em 1986, participou, em Toluca, no México, do V Curso de Formadores, promovido pelo Departamento de Vocaciones y Ministerios, organismo do CELAM ? Conselho Episcopal Latino-Americano. De 1986 a 1989, foi presidente da OSIB (Organização dos Seminários e Institutos do Brasil) e, de 1987 a 1990, da OSLAM (Organização dos Seminários Latino-Americanos). Foi diretor espiritual do Seminário de Toledo, de 1989 a 1991. Em 1990, participou, em Roma, da assembléia geral do Sínodo dos Bispos sobre formação presbiteral. De 1991 a 1995, residiu em Bogotá, na Colômbia, sede do CELAM, onde trabalhou como secretário executivo do já citado Departamento de Vocaciones y Ministérios, do CELAM.

Era pároco da Paróquia de São Pedro e São Paulo, em Toledo, quando, no ano de 1996, com a transferência de dom Lúcio Baumgartner para Cascavel, foi nomeado administrador diocesano, cargo que exerceu por dois anos e meio. Em 15 de abril de 1998, por escolha do Papa João Paulo II, foi nomeado bispo diocesano de Toledo, sendo empossado no mesmo dia da ordenação episcopal, a 20 de junho daquele ano.

Durante os anos de 2003 a 2007, exerceu duas funções importantes, para as quais foi eleito, uma em nível continental, outra em âmbito nacional: foi o responsável pela Seção de Seminários e Ministérios Ordenados, do CELAM, para toda a América Latina, e presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, da CNBB, para todo o Brasil.

No dia 29 de setembro de 2004, foi nomeado para a sede arquiepiscopal de Maringá. Tomou posse como arcebispo, em missa solene, na Catedral de Maringá, em 24 de novembro.

E em 22 de outubro de 2009 o arcebispo recebeu da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUCPR, o título de Doutor Honoris Causa.