Teologia

O que é o SEMINÁRIO MAIOR?

Os Seminários Maiores são necessários para a formação sacerdotal. Toda a educação dos estudantes seja tal que neles se formem verdadeiros pastores de almas, a exemplo de Nosso Senhor Jesus Cristo, Mestre, Sacerdote e Pastor. Preparem-se, pois, para o ministério da palavra: a fim de que entendam sempre melhor a palavra de Deus, que a possuam pela meditação e a exprimam por palavras e atitudes, para o ministério do culto e da santificação: a fim de que, pela oração e o desempenho das sagradas celebrações litúrgicas, realizem a obra da salvação através do Sacrifício Eucarístico e dos Sacramentos e para o ministério pastoral: a fim de que saibam representar diante dos homens a Cristo, que ‘não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em redenção de muitos’ (Mc 10,45; cf. Jo 13,12-17), e que, feitos servos de todos ganhem a muitos (cf. 1Cor 9,19).

Fonte: Decreto Optatam Totius sobre a Formação Sacerdotal, nº. 4.


No itinerário formativo, o seminário maior ou casa de formação constituem uma etapa do discipulado, da caminhada no deserto e da formação específica. Destinam-se a realizar o processo de aprendizagem da vida do presbítero num novo contexto global de discípulo e missionário de Jesus Cristo [...].

O seminário maior ou casa de formação é, antes de tudo, uma escola do Evangelho. Tem como modelo e referência ideal a própria convivência de Jesus com o grupo dos Apóstolos e Discípulos, em que os vocacionados realizam uma experiência de vida e intimidade com Cristo e se preparam melhor para a missão (Pastores Dabo Vobis, nº 60). O seminário maior ou casa de formação é, também, uma experiência de vida comunitária, pois insere, gradativamente, o futuro presbítero na comunhão com o bispo, com o presbitério, e o habilita para o relacionamento fraterno, mais qualificado, com as comunidades eclesiais [...].

Fonte: CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. Brasília: CNBB, 2010. (Coleção Documentos da CNBB, nº. 93). pp. 70-71.



Qual o sentido da etapa de TEOLOGIA?

As disciplinas teológicas devem ser ensinadas à luz da fé e sob a direção do Magistério da Igreja de modo que os estudantes possam acuradamente haurir da Revelação divina a doutrina católica, nela penetrar profundamente, torná-la alimento da própria vida espiritual, anunciá-la, expô-la e defendê-la no ministério sacerdotal.

Fonte: Decreto Optatam Totius sobre a Formação Sacerdotal, nº. 16.


A Igreja olha com carinho e empenho para os cursos de teologia e manifesta seus anseios e esperanças a propósito deles. No contexto de uma Igreja que quer conferir novo vigor à sua dimensão constitutiva de discípula e missionária, os centros de formação teológica revestem-se de importância vital. Sem os mesmos, bem estruturados e qualificados, não é possível oferecer aos futuros presbíteros condições adequadas para uma reta compreensão da revelação, da fé e da missão da Igreja [...].

Cabe aos institutos de teologia zelar para que a formação teológica conserve todos aqueles eixos unificadores centrais queridos e propostos pela Igreja.

O estudo da teologia busca desenvolver uma consciência aprofundada dos mistérios da fé cristã, que seja capaz de orientar a vida e o agir do presbítero. O atual contexto eclesial e religioso é eminentemente plural, mostrando que há diferentes formas de compreensão e vivência do Evangelho e da relação com Deus [...].

Fonte: CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. Brasília: CNBB, 2010. (Coleção Documentos da CNBB, nº. 93). pp. 86-87).




*** O Seminário de Teologia Santíssima Trindade da Arquidiocese de Maringá localiza-se em Londrina - PR, sob a reitoria do Pe. Onildo Luiz Gorla e Direção Espiritual do Padre Luiz Knupp.